883161_647442711943213_1600887842_oDaniel Moscardo,

é Publicitário formado pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Estudou Marketing e Vendas na Fundação Getúlio Vargas. Iniciou sua carreira na YES Agency, atendendo clientes como Volkswagen, Audi, Pfizer, Bradesco entre outros. Como professor, lecionou e coordenou os cursos de Técnicas de Publicidade & Marketing e Computação Gráfica.

Atualmente é diretor executivo da empresa Agência Maná e professor de educação profissional em cursos livres e técnicos, nas áreas de: Marketing, Marketing Digital, Photoshop, CorelDraw, Illustrator, Indesign entre outros.

 

O que ele pensa que faz?

Em 2001, Daniel Moscardo ingressou na Yes Agency como estagiário, ano também que iniciou sua carreira como professor. E como todo estagiário que se preze, sua função era fazer absolutamente tudo. E aprender tudo. Entre alguns trabalhos realizados na Yes, estão materiais de comunicação interna e treinamentos, eventos, materiais promocionais e de ponto de venda, criação de logotipos e outras peça gráficas.

Em 2006, deu início a um novo projeto. Assim surgiu a Maná Comunicação, empresa especializada em consultoria de marketing. 

 

O que ele pensa que pensa?

Estamos em um mundo completamente novo. Nesse mundo o trabalho físico é feito pelas máquinas e o mental, pelos computadores.

Ao homem, cabe um tarefa para a qual é insubstituível:

Ser criativo, ter idéias.

Essa nova realidade altera também a cultura dos países menos desenvolvidos. Esses países agora não consomem apenas produtos agrícolas e industriais. Consomem também telenovelas, jornais, moda, cinema e serviços, os mais diversos.  A globalização abre a vida das pessoas para a cultura e para a toda sua criatividade, proporcionando acesso ao fluxo de idéias e conhecimento.

 

O capital humano

Para acompanhar este novo processo de desenvolvimento, onde os serviços e a criatividade ditam o ritmo, o CAPITAL FÍSICO, que era a peça chave do crescimento econômico, dá lugar  ao CAPITAL HUMANO, representado pelo conjunto de capacitações que as pessoas adquirem através da educação, de programas de treinamento e da própria experiência do ponto de vista profissional. Então podemos dizer que o progresso de um país é alavancado pelo investimento em pessoas.

 

A educação e a escola — o pensar

Essa nova sociedade que está se formando, e que tem por base o capital humano ou intelectual, é chamada de Sociedade do Conhecimento. Junto com essa sociedade, que valoriza as ideias e o patrimônio intelectual, surgem, em várias partes do mundo, os Think Tanks. Os Think Tank  são do que grupos ou centros de pensamento para a discussão de ideias. Esses centros têm por objetivo a construção de um mundo, de uma sociedade mais saudável do ponto de vista econômico e social, que possa desfrutar de uma melhor qualidade de vida de forma integral. O pensar é portanto o grande diferencial entre as pessoas e as sociedades. Por isso, o principal papel da educação é promover e incentivar o nascimento de novas ideias.

 Mas o que é o pensar?

Pensar é aprender a ser livre. Pensar é esforço e inconformismo com o mundo e consigo mesmo. Pensar é duvidar e criticar, não de forma altaneira ou presunçosa, mas pelo desejo do bem comum. Pensar é ter tempo de fazer. Pensar não é repetir ou reproduzir. Pensar é ativar o que de nobre há no ser humano, porque pensar e também sentir e intuir. A frase de Descartes não é de todo certa: não se trata de “penso, logo existo”, mas penso, logo vivo. Viver é encontrar seu próprio caminho e evitar permanentemente a tentação do fácil. Fácil é não pensar.

Extraído de El café de los filosofos muertos, Nora K. e Vittorio Hösle. Anaya. Madrid, 1998, p. 9.

 

Portanto, a escola precisa se transformar, num grande Think Tank. O mais importante deles. Uma grande central de idéias.

 

As profissões

Diante desse quadro, é óbvio que as profissões também passem por um processo de mutação bastante espetacular. Dado o maior valor atribuído ao conhecimento, à cultura, à arte e à estética, encontramos como profissões em alta, o design, a moda, a fotografia, a culinária, a hotelaria, a engenharia clínica, a informática médica e o direito internacional.

No perfil do profissional do futuro, as características mais valorizadas são:

Formação – global e sólida
Conhecimentos extra – computação, domínio de várias línguas
Polivalência – condições de atuar em várias áreas
Cultura ampla – domínio de informações culturais e tecnológicas
Capacidade de inovação – predisposição para mudanças
Atualização – reciclagem contínua dentro da atividade
Capacidade analítica – postura crítica, interpretação antecipada das necessidades futuras da sociedade
Interação – emoção e razão integradas facilitarão o desempenho

Você costuma verificar a data de validade de seu conhecimento?