Qualidade de imagem no mercado visual

Qualidade de imagem no mercado visual

Primeiro falaremos um pouco sobre Surrealismo e Realismo pra chegar no ponto que quero explicar.

Surrealismo? Realismo? Isso é aula de artes? Voltei pro ensino médio?

Nããããoo, mas essas duas coisas estão muito presentes nos dias de hoje. O surrealismo é abstrato, é tudo aquilo que não parece e não pode ser real, mas justamente foi inspirado em algo do elemento realismo pra poder tomar forma. Mas pera lá, o que isso quer dizer? Vamos ver alguns exemplos de como realismo e surrealismo se misturam pra criar algo bacana.

Você cria uma paisagem. Ela tem um mar, um sol e nuvens. Surreal ou real? Depende. Se seu mar possui elementos que não são “comuns” ou “reais”, isso ja transforma toda a sua paisagem em algo surreal.

Que tal falarmos de mercado?

Gwen Stefani lançou no dia 21 de outubro de 2014 o clipe para seu novo single, chamado Baby Don’t Lie. Uma das maiores criticas? O clipe, mesmo em full HD de 1080p, parece ter uma qualidade horrível.

Por que? Porque contem elementos surreais na tela. Esses elementos surreais estão “pixelizados”, como costumamos chamar e se misturam com a imagem da cantora andando por uma passarela composta por cenários “surreais” e “pixelizados”. O corpo e a imagem dela permanecem com qualidade impecável, mas por que será que isso afeta o vídeo todo? Ninguém parou pra pensar que o vídeo em si, talvez, tenha sido planejado desse jeito.

A música tem uma pegada de anos 90, uma coisa que Gwen ja trabalhou e abusou na sua época “psicodélica” com o No Doubt. Naquela época, imagens pixelizadas eram o máximo que tínhamos pois nem o HD normal sonharíamos em ter, imagine um Full HD. Ja pensou que Gwen quis brincar com essas coisas?

Além do mais, deu um estilo super “vintage”, “cool”, “hipster”. Estilos que estão em alta agora. Ja pensou no marketing envolvido atrás de tudo isso? Já pensou que, nem sempre, a qualidade da imagem é o grande x da questão? Afinal, mesmo saindo “ruim” como disseram, todos estão falando da mesma coisa. Mas todos estão falando do vídeo. Pense nisso!

Confira o clipe abaixo:

Vamos falar de outro mercado.

Ja ouviu falar em Final Fantasy? É um jogo de fantasia que mistura vários elementos surreais , com base na realidade. Um dos meus favoritos é o X. Ele conta a história de um “castigo” que a humanidade sofre pelo ABUSO de tecnologia e como os humanos andaram usando a tecnologia da maneira errada.

É um jogo fantástico, é um jogo com gráficos fantásticos. Mas ele não depende apenas dos gráficos. A história foi desenvolvida com muito carinho, eles buscaram bastantes inspirações e desenvolveram algo com conteúdo, não apenas beleza. Final Fantasy X foi um dos revolucionários no mercado de games, não só pela sua história, mas também pela evolução de seus gráficos.

Confira abaixo uma das cenas cinematográficas do jogo:

Continuamos no mesmo mercado, com visão diferente

Ja ouviu falar na Nintendo? É aquela pequenaaaa empresa que desenvolveu Super Mario e Pokémon. Conhece? Que bom, porque falaremos dela agora. A Nintendo é uma empresa de jogos famosa, muito conhecida no mercado e uma das mais poderosas. Seus jogos possuem gráficos excelentes e fenomenais? Não.

Os jogos da Nintendo, para a grande maioria dos fãs, se trata da história, do sentimento de jogar, de inovações em histórias e mecânicas de jogo, não apenas em evolução de gráficos. Isso se reflete numa declaração de um dos diretores de Pokémon. Quando perguntado se ele faria remake de um dos jogos antigos que não foram da “franquia principal”, ele respondeu:

“Como um jogador, eu definitivamente quero jogar uma nova versão legal de Pokémon Snap, mas ao mesmo tempo, eu acho que seria apenas um remake com gráficos melhores. Eu não acho que seria interessante assim como muitas pessoas imaginam. 

Se alguém acabasse desenvolvendo o jogo, eles teriam que vir com idéias legais para realmente fazer um jogo legal para a atual geração. É como eu estava dizendo sobre Omega Ruby e Alpha Sapphire. Se o jogo fosse um port direto, seria até legal, mas ter novos elementos é algo muito importante.”

Confira abaixo um video que mostra a evolução gráficas da franquia de jogos Pokémon:

É isso ai galerinha. Espero que tenham gostado do post de hoje e espero que isso tenha iluminado varias cabecinhas sobre o assunto. Lembrem-se que isso pode ser aplicado também na vida de vocês, especialmente para quem trabalha dentro de um mercado visual. Nem sempre o que é bonito vende por si só, um pouco de conteúdo também sempre é bem vindo ;)

Uma resposta

  1. Klaibert Miranda
    | Responder

    Bela abordagem! Na verdade a qualidade da imagem, ainda que 8k, não faz milagre sozinha, duvido que alguém ia querer assistir aquele filme péssimo que não conseguiu nem chegar na metade, só porque agora está em 8K ou 4D. No mundo dos games, se gráfico fosse o mais importante, a Nintendo não teria revolucionado com o nintendo Wii, trazendo formas ativas de participação e simplificação máxima dos controles (tirando muitos botões quando a tendência era contrária) em detrimento da qualidade gráfica (muito abaixo da geração da mesma época) ou nem ouviríamos mais falar em jogos dos tempos do super nintento, nitendinho, master system e cia (que são comercializados por valores altíssimos e muito pirateados online). A velha máxima sobre forma x função se aplica aqui também e independente das posições individuais, não tenho dúvidas que todos ficam mais felizes quando encontram os dois juntos, não é mesmo?!

Deixe uma resposta